Meira Contadores Associados

30 anos contabilizando empresas de sucesso!

TRIBUTÁRIO – Principais pontos da reforma tributária que substitui o PIS e Cofins pela CBS

O Secretário da Receita Federal e Vanessa Rahal Canado, apresentaram hoje os principais pontos da reforma tributária proposta pelo governo e entregue ao Congresso Nacional.

A ideia é extinguir as contribuições ao PIS e a Cofins e substituir pela CBS – contribuição sobre bens e serviços.

Os principais pontos da reforma são os seguintes:

Tornar mais simples a apuração da nova contribuição – CBS.

Haverá menos regimes diferenciados de apuração. O PIS e Cofins têm inúmeros regimes diferenciados que tornam complexa a tributação.

A CBS será não cumulativa e incidirá sobre a receita bruta e não mais sobre todas as receitas. Não haverá CBS cumulativa.

O aproveitamento do crédito será total, sem restrições.

As receitas não operacionais não entrarão na base da CBS.

Nenhum tributo integrará a base de cálculo da base da CBS.

O cálculo da CBS será por fora. Atualmente a forma de cálculo do PIS e Cofins é por dentro (tributos sobre tributo), o que máscara a carga tributária, pois aumenta o valor do tributo a pagar.

Alíquota uniforme é 12% para  bens e serviços, ou seja, vai ser majorada.

Haverá total desoneração das exportações, sem acúmulos de resíduos e possibilidade de utilização total dos créditos nas exportações

Não haverá mudança no Simples Nacional. Esse regime não será alcançado pelas regras da CBS, mas a sua contratação dará direito a crédito.

As informações fiscais da CBS serão menores do que do PIS e da Cofins, o que levará à diminuição das obrigações assessórias

A reforma acabará com os litígios judiciais que envolvem a PIS e Cofins. O contencioso de PIS e Cofins representa 20% do contencioso administrativo,  25% dos processos do STJ e 22 temas do STF.

O contribuinte que tiver crédito do PIS e da Cofins, quando da sua extinção, poderá aproveitar para pagar outros tributos ou pedir ressarcimento.

Os médicos não pagarão CBS sobre serviços prestados aos SUS.

O regime de apuração monofásica continuará para produtos tais, cigarros, e combustíveis.

As instituições financeiras pagarão CBS à alíquota de 5,8%.

Haverá isenção da CBS sobre as receitas decorrentes do transporte coletivo.

Zona franca continua com os benefícios similares que possui no sistema de apuração do PIS e Cofins.

Condomínios, entidades filantrópicas, conselhos profissionais, sindicatos e partidos políticos, dentre outros, não pagarão CBS.

A CBS incidirá sobre as importações, com a extinção do PIS e Cofins importação.

Será extinto o PIS e Cofins sobre a folha.

Fonte: Site Contábil

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest

Deixe um comentário

error: Conteúdo Protegido !!
Não copie. Direitos Reservados